Informe seu e-mail para receber nossa Newsletter:

Newsletter:

Notícias

MUTIRÃO AMBIENTAL IRÁ RECOLHER BATERIAS E PILHAS NO ESTADO DE SP

MUTIRÃO AMBIENTAL IRÁ RECOLHER BATERIAS E PILHAS NO ESTADO DE SP

Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo programa para outubro mutirão para recolher material


 

A Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo está programando para o dia 8 de outubro mutirão ambiental para recolher pilhas e baterias de carro e de uso em eletroeletrônicos. A campanha, intitulada "Recicle não descarte essa idéia", deverá ter cinco pontos de coleta em Rio Claro.

 

Os órgãos oficiais ainda estão definindo os detalhes da campanha. Segundo a assessoria de imprensa da secretaria, mais informações serão divulgadas a partir da primeira semana de setembro.

 

Muitas pessoas têm dúvida do que fazer com baterias de celulares, pilhas e outros itens, por não saberem se podem ser descartadas no lixo comum. De acordo com o diretor de resíduos sólidos da Sepladema (Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento e Meio Ambiente), Luiz Antônio Seraphim, as pilhas comuns podem ser jogadas junto ao lixo doméstico, porém, desde que na embalagem tenha um desenho explicando a maneira de descarte sem um X.


O mesmo vale para as baterias de uso doméstico, assim, os consumidores devem observar na embalagem qual a recomendação. Caso tenha um X, não poderá ser descartada no lixo comum e deverão ser devolvidas na loja onde foram compradas, para que sejam encaminhadas ao fabricante.


Conforme Seraphim, a legislação não é clara sobre esta questão. "O gerador tinha a obrigação de recolher e dar a destinação correta, mas na legislação não há nada específico sobre isso. A legislação fala que o gerador é o responsável, mas ainda não está bem definido de que maneira deverá ser feito", explica.


O diretor destaca que o aterro sanitário de Rio Claro obedece projeto da Secretaria do Meio Ambiente e é aprovado pelos órgãos ambientais. As pilhas são especificadas como Resíduo Classe 2, neste caso, podem ser jogadas no aterro. O local possui uma manta de impermeabilização e compactação de argila. "Há toda uma técnica para impermeabilização que garante que nada passe e contamine o lençol freático", salienta Seraphim.

 

 

Referência: Jornal Cidade

 

Voltar

PUBLICIDADE