Informe seu e-mail para receber nossa Newsletter:

Newsletter:

Notícias

PERU: UM PAÍS REPLETO DE NATUREZA EXUBERANTE E MUITOS ATRATIVOS

PERU: UM PAÍS REPLETO DE NATUREZA EXUBERANTE E MUITOS ATRATIVOS

Veja como surfar, fazer trilhas, expedições e montanhismo no Peru


 

20/03/2009

 

Há inúmeras opções para praticar atividades ao ar livre no Peru: caminhadas em trilhas incas e montanhismo em picos gelados nos Andes; Mountain-Bike; surfe em algumas das ondas mais longas e consistentes da América do Sul; descidas de rio em percursos que podem levar mais de uma semana; mergulho com leões-marinhos em seu habitat natural; ver preguiças, macacos, araras, botos e piranhas em expedições na floresta amazônica e muito mais.

Conheça sugestões de atividades para todo tipo de interesse, habilidade, condicionamento físico e orçamento retiradas do "Guia Visual Peru" (Publifolha, 2009) e saiba mais sobre o livro. 

O Peru oferece atividades ao ar livre para todo tipo de interesse, habilidade, condicionamento físico e orçamento. Os destaques são as caminhadas, acampamentos por vá­rios dias e expedições nas montanhas tropicais mais altas do planeta. Oferece também montanhismo, descida de rio em bote, Mountain-Bike, surfe ou observação de animais selvagens na bacia Amazônica. O surfe de areia, uma atividade singular, só é praticado nas grandes dunas de Huacachina, na costa sul. Selecionamos aqui algumas das centenas de lojas de equipamento e agências de viagem. Os visitantes buscam informações sobre as atividades na South American Explorers (SAE), em Lima e Cusco. 

Caminhadas e montanhismo são atividades muito praticadas por quem visita o Peru, especialmente na estação da seca, de maio a setembro. A melhor base para fazer caminhadas nos Andes é em Huaraz, onde a Cordillera Blanca tem picos nevados e é a área de caminhada mais conhecida. Aqui se destaca o Huascarán, com 6.768m, o mais alto pico tropical do mundo.

 

Com trilhas cruzando passos de 5 mil m e áreas de camping a 4 mil m de altitude, é uma aventura para pessoas preparadas, aclimatadas e bem equipadas. Trilhas de um ou de três a 12 dias podem ser organizadas. Há uma trilha mais difícil, com duração de 14 dias, que dá a volta na Cordillera Huayhuash, a segunda mais alta do Peru. Os montanhistas podem optar por altos picos gelados, desde o relativamente fácil Pisco ao simétrico Alpamayo e o perigoso Artesonraju. Todos exigem equipamento de escalada técnica para gelo e neve, que pode ser alugado em Huaraz. A temporada vai de junho a agosto.

 

Alguns preferem acampar sozinhos, outros contratam guias, cozinheiros e arrieros (condutor de mula). A Casa de Guias, sede da Associação Peruana de Guias de Montanha, dá informações precisas.

 

A MountClimb e Andean Kingdom alugam ou vendem equipamento e organizam passeios que são relativamente caros.

 

A Peruvian Andes Adventures tem os melhores equipamentos de Huaraz e guias especializados que falam inglês e alemão.

 

A Skyline Adventures organiza caminhadas, escaladas e dá cursos de montanhismo.

 

La Cima Logistics, instalada no Café Andino de Huaráz, especializou-se em dar informações personalizadas e em organizar excursões para a Cordillera Huayhuash.

 

A Pony´s Expeditions, no vilarejo de Caraz, 67 km ao norte de Huaraz, é uma boa opção para o extremo norte da Cordillera Blanca.

 

Cusco, com a sua fabulosa trilha Inca para Machu Picchu, é também o ponto de partida para várias outras trilhas maravilhosas. Como a trilha Inca está hoje muito controlada, os visitantes precisam planejar a caminhada com meses de antecedência para obter a permissão ainda na estação da seca. Há outras trilhas igualmente belas que não precisam ser notificadas com tanta antecedência.

 

Muito recomendado é o circuito de seis dias de Ausangate (6.372m) com vistas gloriosas das montanhas, rebanhos de alpaca e nascentes de água quente. Vá rias trilhas que terminam em Machu Picchu vão por outros caminhos que não são a famosa trilha Inca.

 

A ecológica Ecoinka oferece o confortável Camp Veronica, com boas refeições, ducha quente, sauna e vista para o glaciar Veronica (5.750m); é o acampamento-base para a trilha Inca, uma trilha de lhamas e outras excursões pela região. A Explorandes é a pioneira local e oferece excursões de primeira classe.

 

A Amazonas Explorer organiza excelentes caminhadas, Mountain-Bike, e descidas de rio.

 

Expedições guiadas de ponta a ponta e bem organizadas, com guias internacionais e hotéis de primeira, são oferecidas pela Wilderness Travel, que opera no Peru desde os anos 1970.

 

Na High Places e Wildland Adventures estão os melhores equipamentos internacionais.

 

Dezenas de outras agências de nível médio incluem as recomendadas SAS Travel, Q´ente Adventures, Liz´s Explorer e Inca Explorers. A região de Arequipa reserva aventuras especiais.

 

Uma trilha no interior dos dois cânions mais profundos do planeta, o Colca e o Cotahuasi, pode ser organizada. Ambos oferecem belos cenários, há chance de ver condores voando e aldeias remotas.

 

O melhor fornecedor de equipamento é Colca Trek, administrada pelo Vlado, o experiente guia local que fala inglês.

 

Outra aventura inesquecível é a escalada do árido Volcán Misti (5.822m), que se ergue nos horizontes de Arequipa. Alguns dos melhores guias estão na Zárate Adventures, a primeira a fazer escaladas na região e a oferecer subidas aos picos mais altos.

 


Mountain-Bike

 

As trilhas nas montanhas com cenários deslumbrantes são sob medida para quem adora aventuras e um contraste com a planície deserta da Rodovia Pan-Americana. Estreitas estradas de terra cruzam os Andes, e é preciso subir de carro ou de burro para descer 3 mil m. As bicicletas de aluguel são boas, mas, se você quiser uma "bike" topo de linha, traga a sua. Quem chega ao país de avião costuma trazê-la consigo. Em Huaraz, a Mountain Bike Adventures é a melhor opção para trajetos curtos e expedições de vários dias pela região da Cordillera Blanca. Júlio, o simpático proprietário que fala inglês, é ótimo guia e mecânico, e conhece o esporte como ninguém. Em Cusco, planeje a sua viagem na Ecotrek Peru, cujas viagens de um a seis dias passam por alguns sítios incas. A International BikeHike Adventures oferece, como diz o nome, excursões mistas. A Backroads é uma empresa com boa reputação que oferece bicicletas novas e trilhas no vale Sagrado. Uma lista dos fornecedores internacionais de equipamento e passeios personalizados pode ser encontrada no site Adventurebiketours.



Descida de rio


Os caudalosos rios andinos são perfeitos para descer as correntezas de caiaque ou bote. O percurso pode durar de algumas horas a mais de uma semana de descida por cânions de montanhas e pela floresta Amazônica, com acampamento na mata. O equipamento pode ser alugado em Arequipa e Huaraz, mas Cusco tem as melhores opções. As descidas mais curtas são feitas nas correntezas Classes II e III do rio Urubamba, no vale Sagrado, e as mais longas pelos rios Tambopata e Apurímac, entrando pela Amazônia, onde as correntezas alcançam Classe IV e até as perigosas Classe V. As descidas são feitas em botes de borracha com guias experientes; os caiaques podem juntar-se à expedição. As empresas especializadas em descidas de corredeira são a Mayuc, pioneira do gênero no Peru que também faz descidas pelo cânion Colca e viagens pela região de Cusco; e a Southern Rivers Expeditions, que faz o cânion Cotahuasi. Cheque se alguma delas também organiza descidas personalizadas.



Surf


Com 3 mil km de costa no Pacífico, o Peru tem ótimas ondas. No norte estão as melhores e as águas mais quentes, com temperatura em torno de 21 °C a maior parte do ano. Nas praias perto de Lima a temperatura cai para menos de 13 °C nos meses mais frios, entre abril e dezembro, quando é preciso usar roupas impermeáveis. Para ter uma visão geral das praias de surf, visite o site Perú Azul. Informações sobre o surf competitivo podem ser obtidas no site Bodyboardperu. As praias peruanas são desérticas, diferentes das praias tropicais. Lima está diante de inúmeras praias, e os surfistas são vistos durante todo o ano nos sofisticados hotéis à beira-mar, restaurantes e shoppings de Miraflores e Costa Verde. Para fugir das praias cheias, os surfistas locais vão para Punta Hermosa, cerca de 40km ao sul de Lima, onde há breakers excelentes e acontecem várias competições internacionais. Wayo Whilar é uma loja local do gênero onde as pranchas podem ser compradas, confeccionadas, alugadas e reparadas, e também funciona como centro de informações para os surfistas. Puerto Chicama, perto de Trujillo e 610km ao norte de Lima, tem as mais longas lefts do mundo, mas a infra-estrutura limita-se a poucos albergues básicos. Entre maio e agosto é a melhor época para surfar. Mais ao norte, a 1.160km acima de Lima, a bonita Máncora tem águas mais quentes, boas ondas e hotéis de todas as categorias. Consulte no site Viva Máncora as condições do mar, que são melhores de novembro a fevereiro.



Mergulho com Cilindro


As águas do Peru têm correntes frias e profundas depressões. Se por essa razão a Costa do Pacífico não tem recifes de coral, há outras atrações para os mergulhadores. A principal está em Paracas, onde eles nadam com os leões-marinhos em seu hábitat. As águas mais quentes ficam perto da fronteira equatoriana, onde os peixes são mais visíveis. A Peru Divers vende equipamento, organiza excursões e oferece cursos com o certificado internacional PADI por muito menos do que se pagaria na Europa ou América do Norte.



Exploração da Floresta


Uma expedição à floresta Amazônica para observar os animais selvagens é sempre a melhor aventura para quem vem ao Peru. Os que visitam a bacia Amazônica costumam ver preguiças, macacos, araras, botos, piranhas e os mais variados insetos e plantas, onde quer que estejam.

Nas matas ao sul, os íngremes barrancos de lama salgada atraem araras e papagaios, que vêm se alimentar de minerais. Quando o sol começa a se pôr, grandes bandos de pássaros coloridos pousam grasnando em algumas áreas -visão que faz a alegria dos observadores de pássaros e dos fotógrafos. As excursões a áreas mais remotas da selva permitem observar onças e tapires. Também há chances de ver capivaras, tamanduás, tatus e lontras-gigantes. Mas essa não é a única atração da floresta. Os ruídos da selva, desde os pássaros saudando o amanhecer aos concertos noturnos dos sapos, rãs e insetos de todo tipo, são de uma beleza indescritível. Visitar uma aldeia indígena e subir na copa das árvores são experiências que os visitantes guardarão por toda a vida. Em Iquitos, o visitante pode Cutia, na Amazônia iniciar um cruzeiro de sete dias em um pequeno barco com cabinas privativas e ar-condicionado, acompanhados por um guia naturalista, da Amazon Tours & Cruises. Viagens mais luxuosas e caras são feitas pela International Expeditions. A Green Tracks dá ênfase à biologia em alguns de seus roteiros. Os viajantes com menos dinheiro podem viajar em redes nos barcos de carga que saem regularmente dos portos maiores de Iquitos, Pucallpa e Yurimaguas. Acampar na bacia Amazônica é muito comum na região do Manu, onde a Manu Ecological Adventures mantém campings semipermanentes em alguns dos melhores locais. A Manu Expeditions oferece um misto de acampamento com hospedagem em alojamento, e é especialista em observação de pássaros. Uma boa empresa mais barata é a Pantiacolla Tours, que tem campings em várias praias. Lembre-se de que, mesmo sendo campings, a logística para entrar em áreas tão remotas encarece a expedição, e não é permitido viajar sozinho. Outra opção para explorar a floresta é hospedar-se em alojamentos como o Manu Lodge. Alguns deles têm plataforma ou passarelas elevadas que por si sós já são uma aventura. Outros, como o Heath River Wildlife Center, permitem chegar mais perto dos sedimentos de argila, que ficam repletos de araras e papagaios ricamente coloridos.



Asa-delta e balonismo


As aventuras aéreas repletas de adrenalina, como voar de asa-delta e em balão de ar quente, são as últimas novidades no cenário esportivo peruano. Pilotos profissionais e amadores sobrevoam o Shopping Larcomar, em Lima, sobre a península de Paracas e através do vale Sagrado perto de Cusco. Vôos duplos com pilotos experientes e cursos de treinamento são oferecidos pela PerúFly ou a Viento Sur, que também aluga equipamento para pilotos licenciados. O balonismo vem ganhando popularidade na região de Cusco, onde a Globos de los Andes oferece seus serviços profissionais aos visitantes.



Passeio a cavalo


O Peru tem os famosos cavalos paso, criados há 400 anos e com a andadura mais suave do planeta. A Cabalgatas faz exibições e oferece passeios a cavalo com esses animais. A Equitours é um concorrente internacional recomendado que oferece passeios ao vale Sagrado. Vá rias empresas de caminhada também oferecem cavalos, mas nem sempre os pasos. Cuidado com os cavalos mais baratos, que acabam dando problema.



Surf de areia


O surf de areia é um cruzamento entre o surf de neve e o surf de água, mas desta vez jogando-se do alto de uma duna. É uma diversão popular, porque a areia jamais derrete e não é preciso esperar pela melhor onda. Na areia é possível surfar a qualquer hora, em qualquer estação, o que agrada aos peruanos. É muito raro chover na costa desértica do Peru e nem mesmo o mau tempo consegue impedir a diversão. Nos anos 1980, o cenário do surf de areia se concentrava em um lago da desértica Huacachina, um vilarejo situado quatro horas de carro ao sul de Lima. No princípio, as pranchas se pareciam com tábuas de surf curtas, velas eram usadas no lugar de cera, e os surfistas se sentavam ou deitavam sobre elas para descer as dunas de areia ao redor do lago. Os mais ousados usam um equipamento semelhante a snowboards, com tiras prendendo os pés para poder controlar a descida. Mais de 40 países oferecem hoje dunas surfáveis, e as competições de surf de areia são disputadas por esportistas internacionais que deslizam, saltam, giram, dão cambalhotas e despencam duna abaixo. As empresas não organizam os passeios, mas alguns hotéis e lojas de Huacachina alugam pranchas novas e usadas. Os surfistas sobem as dunas penosamente, com três passos para a frente e dois para trás, ou contratam um buggy com motorista para levá-los. Isso se repete enquanto houver energia. Huacachina é o melhor lugar, também para alugar uma prancha por 3 dólares ao dia. As dunas de Huacachina, Trujillo, e mesmo em Lima, atraem os surfistas. Veja no site da Peru Adventure Tours outras informações.

Folha online

 

 

 

Referência: Olhar Direto

 

 

 

Voltar

PUBLICIDADE