Informe seu e-mail para receber nossa Newsletter:

Newsletter:

Curiosidades

AQUÍFERO GUARANI E SUAS ÁGUAS MEDICINAIS

AQUÍFERO GUARANI E SUAS ÁGUAS MEDICINAIS

Por: Por Ylka Silveira



21.07.09

 

O Brasil é hoje o país mais rico do mundo em água. Só de rios são quase 56 mil quilômetros quadrados. Temos 12% de toda a água doce do planeta e 53% da América do Sul. Mas é subterrânea a reserva mais valiosa: o Aqüífero Guarani. O reservatório tem proporções gigantescas: 1,2 milhão de quilômetros quadrados. Oito estados brasileiros e outros três países latino-americanos são os guardiões dessa imensa caixa d´água enterrada.

 

 

O comerciante Leose Furunchi descobriu o poder desse aqüífero. A água que jorra do poço lavou a alma do comerciante. Também pudera: ele descobriu uma mina de ouro. Água mineral. A água que ele encontrou em um sítio de Paissandu, nos arredores de Maringá, norte do Paraná, é diferente: contém vanádio, um mineral com propriedades medicinais. Ele atua contra o colesterol e influencia no funcionamento do pâncreas e do fígado, combate a diabetes e favorece o equilíbrio da saúde.

 

 

Há mais ou menos 180 milhões de anos, ainda no tempo dos dinossauros, a região era um imenso deserto. Em um período entre 200 e 132 milhões de anos, o deserto - com área equivalente aos territórios da Inglaterra, França e Espanha juntos - sofreu uma grande transformação. O mar de areia virou um dos maiores reservatórios de água doce do mundo: o Aqüífero Guarani. Mas não pense que existe um imenso lago debaixo da terra. O geólogo Eduardo Hindi explica que lá embaixo, encontraríamos pedras. A água ocupa o espaço entre os grãos de areia. O aqüífero é uma rocha porosa com capacidade de absorver a água.

 

 

Um dos muitos poços perfurados pela empresa de saneamento do Paraná, na Zona Rural de Londrina, ainda está em fase de teste, mas já mostrou a que veio. Um jorro poderoso avança em direção ao céu. São 880 mil litros de água por hora, expelidos pela pressão natural. Depois, a água que vem de mais de 500 metros de profundidade mantém uma vazão um pouco menor, de 550 mil litros por hora. O que se vê é uma chuva de água morna - com 36 graus Centígrados - e cristalina.

 

 

Quanto mais profunda mais quente a água. A cada 30 metros, a temperatura aumenta um grau. O biólogo José Roberto Borgheti explica que a composição e temperatura das águas do aqüífero variam muito. "A grande riqueza do Aqüífero Guarani é essa diversidade de utilização - tanto para o abastecimento público quanto para o turismo hidrotermal", ressalta o biólogo.

 

 

Água em tamanha quantidade, e de sobra, não serve apenas para garantir aos moradores o uso nos afazeres domésticos, na higiene pessoal e outras utilidades. Na hora do lazer, também se mergulha em água pura. A vocação turística do aqüífero, às vezes, é descoberta por acaso. O casal de agricultores Carlos e Alaíde Benati trocou um sítio de arroz, de cinco alqueires, por uma chácara bem menor, de apenas um alqueire. No terreno, havia um tesouro que brotava da terra: uma mina d´água. Água do Guarani. A prainha era um velho sonho e dela o casal tira o sustento.

 

 

Um financiamento para fazer a terraplanagem foi o grande passo. "A gente foi investindo, fazendo quiosques, colocando pias, construindo churrasqueira", conta seu Carlos.

 

 

O aqüífero se estende pelo interior do Paraná, distribuindo água e saúde o ano todo. Piscinas de água quente, banhos de lama, jatos frios - são as águas que curam. Elas têm sulfato de cálcio, de magnésio, carbonatos de sódio e potássio - minerais poderosos contra reumatismos e dores musculares.

 

Porém, para manter intacta esta riqueza é preciso PRESERVAR, pois a ÁGUA NÃO é infinita, como nenhum recurso natural....

 

 

 

 

Por Ylka Silveira

Gestora Ambiental e Colaboradora do Portal Guia de Cachoeiras

E-mail: ylkagomes@ig.com.br

 

 

 

 

 

Fonte de consulta

www.abas.org.br

 

 

 


Voltar

PUBLICIDADE