Informe seu e-mail para receber nossa Newsletter:

Newsletter:

Notícias

ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO CARMO

ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO CARMO

Por: Por Ylka Silveira



12.08.09

 

 

O parque, que antigamente se tratava de uma fazenda de propriedade de Oscar Americano de Caldas Filho, que ali costumava passar os finais de semana em companhia da família e amigos. Em 19 de setembro de 1976 a fazenda foi transformada em parque pela Prefeitura. Este parque está inserido na Área de Proteção Ambiental (APA) do Carmo. O Carmo conta com 1.548.630 m2 de área total.

 

 

A flora existente é bastante diversificada, pois o parque possui ambientes diferenciados como mata, mata ciliar, capoeiras, eucaliptal e brejos. A mata é representativa da Mata Atlântica e ocorre principalmente nas encostas e locais de difícil acesso e exerce um papel fundamental na estabilidade do solo, na manutenção do manancial hídrico, da fauna e do clima da região. Lá existem espécies características de mata primária como o pau-de-tucano, o passuaré e o angico. Os gramados e os campos possuem espécies nativas e exóticas. O parque possui ainda um cafezal, um pomar e um bosque de cerejeiras, que podem ser conhecidos seguindo, por exemplo, a "Trilha da Figueira", cujo guia pode ser retirado no Centro de Educação Ambiental, localizado no Casarão, sede da antiga fazenda.

 

 

Devido a sua diversidade de ambientes, principalmente por constituir-se a APA do Carmo um dos últimos remanescentes de área verde significativa do município, existe ali uma rica fauna de Mata Atlântica, que antigamente vivia em grande parte do Estado, pois ali encontra um refúgio com abrigo e alimentação, que criam condições favoráveis para a sua reprodução. Os brejos, por exemplo, representam o principal abrigo da herpetofauna (répteis e anfíbios), bem como para algumas aves. Há inclusive informações sobre a ocorrência de mamíferos de médio/grande porte, como gambás, bichos-preguiça, macacos e veados. A Divisão Técnica de Medicina Veterinária vem realizando um levantamento sistemático da fauna silvestre do parque e, através dele, foram detectadas 64 espécies de aves, entre elas algumas raras na região, como a borralha-assobiadora.

 

 

O Parque possui o Centro de Educação Ambiental com rampa de acesso a deficientes físicos (visitas monitoradas esporádicas).

 

 

A Prefeitura de São Paulo, juntamente como o Conselho Gestor da APA do Carmo, tem a proposta de implantar um Parque Ecológico na região. A esse Parque, que englobará a área que não pertence ao Parque do Carmo, será dado um uso diferenciado daquele proporcionado pelo Parque do Carmo, propiciando a ocorrência do ecoturismo e a pesquisa, respeitando o zoneamento estabelecido pela Lei que criou a APA, e possibilitando uma maior conservação da área que vem sofrendo com a ocorrência de incêndios, poluição por lixo e ocupação irregular.

 

 

 

Por Ylka Silveira

Gestora Ambiental e Colaboradora do Portal Guia de Cachoeiras

Email: ylkagomes@ig.com.br

 

 

 

Fonte de Consulta e da foto - www.prodam.sp.gov.br

 

 

 


Voltar

PUBLICIDADE