Informe seu e-mail para receber nossa Newsletter:

Newsletter:

Historico

Cidade: CONSERVATÓRIA


Conservatória nasceu há mais de um século. Seu nome primitivo era Santo Antônio do Rio Bonito. No século XIX, o desenvolvimento das terras na interlândia do Estado do Rio, teve a sua principal base no crescimento da agricultura, começando pela cultura da cana-de-açúcar e, principalmente, o plantio do café. Na aldeia de Santo Antônio do Rio Bonito, em conseqüência desse desenvolvimento agrícola, foi criado em 1824 o curato, que era chefiado por um vigário. Segundo os historiadores, a aldeia dos índios Ararís teve a sua organização oficializada em 1789, no vice-reinado de Luiz Vasconcellos. Uma sesmaria de terra, que compreendia uma légua em quadra, foi doada aos indíos e assim foi criada Conservatória, que significa Registro dos Índios, tal qual um cartório, termo esse que até hoje é usado em Portugal, como sendo o registro de pessoas e fatos. Depois do declínio do café, Conservatória passou a ser procurada para tratamento de saúde, por possuir um bom clima. Hoje sua economia baseia-se na agropecuária e no turismo. Conservatória, por ser um local de tradição de serestas, tem na maioria de suas casas, afixada na fachada principal, uma placa com o nome e autoria de uma música, escolhida pelo próprio morador. A colocação dessa placa se dá durante a noite, com uma cerimônia que começa com a saída dos seresteiros do Museu da Seresta, cantando pelas ruas a música escolhida. Enquanto a placa é colocada, canta-se novamente a música. Depois os seresteiros entram casa adentro e são recepcionados pelo dono com coquetel e festa.

Voltar

PUBLICIDADE