Informe seu e-mail para receber nossa Newsletter:

Newsletter:

Historico


Cidade: CORDEIRO


Até o final do Século XVIII a região foi ocupada por índios Goytacá e Coroados. Com a passagem dos Bandeirantes pela região à caminho de Minas Gerais e de forasteiros de todos os tipos à procura de ouro e pedras preciosas, a população indígena foi afastada através de focos de ocupação na mata e por combates e enfrentamentos.

Mão de Luva, o fora-da-lei que vindo fugido de Minas Gerais começou seu pequeno povoado em Lavrinhas, havia sido atraído para Lavrinhas - como o próprio nome revela - pelo fato de ali ser local para extração de ouro e pedras preciosas, e que se revelou um esconderijo seguro dentro da mata para o seu bando. Foi ali o início do Município de Cantagalo.

O próprio Barão de Nova Friburgo, futuro proprietário de fazendas em toda região de Cantagalo, iniciou sua fortuna em Lavrinhas com a extração de ouro.

Como parece que o manancial ali já tinha se esgotado, dirigiu seus esforços em outra direção, se transformando num poderoso proprietário de fazendas de café. Lavrinhas é uma região que pertence a Cordeiro.

A ocupação do que é hoje a Cidade de Cordeiro começou por volta de 1855 com uma fazenda de propriedade de Manoel Rosendo Cordeiro, do lado direito do Rio Macuco.

Um casarão que possuía amplas salas e vários quartos e que era sua residência. A casa servia de pouso para os condutores de tropas e negociantes que atravessavam a mata. O casarão foi muito tempo conhecido como Casa da Imigração. Haviam também algumas rústicas moradias em torno desse pequeno núcleo.

A cultura do café que estava a pleno vapor no Vale do Paraíba, teve seu grande desenvolvimento na região que compreende Cantagalo, Cordeiro, Bom Jardim e outras cidades por volta de 1883.

Fazendas foram se incorporando a essa cultura com a aquisição de mais escravos e aumentando seus depósitos e armazéns. Por outra lado a estrutura toda necessária ao comércio do café, seu transporte, distribuição e embarque provocou grandes mudanças na região inclusive com a construção novos de ramais na rede ferroviária. A idéia era trazer os trens cada vez mais perto das plantações de café. As safras atingiram quantidades consideráveis enriquecendo os municípios e atraindo novos moradores.

Em 1875 Manoel Rosendo Cordeiro cedeu faixa de terra de sua propriedade para a passagem da via férrea. A Estrada de Ferro que vinha até Cantagalo foi incorporada mais tarde a Estrada de Ferro Leopoldina. O tráfego vinha de Nova Friburgo e mais tarde chegou até Campos e São Fidélis. D. Pedro II passou por essa estrada quando inaugurou o ramal de Campos.

Cordeiro era um povoado que em 1890 já contava com 700 habitantes, possibilitando sua criação como distrito de Cantagalo. Com a abolição da escravatura, esgotamento do solo e o surgimento de novas áreas cafeeiras, a atividade agrícola foi se transformando. Muitas fazendas passaram a se ocupar com pecuária e com outros tipos de lavoura, enquanto ainda cultivavam café. Ainda existiam fazendas de café no município durante quase toda a primeira metade do século XX.

A tendência pecuarista se acentuou e em 1921 foi inaugurado o Posto Zootécnico Dr.Raul Veiga. Cordeiro passou a ser bastante conhecida então pela Exposição Regional de Gado e Produtos Derivados. A exposição atraiu grandes produtores e criadores de gado da região e mesmo de outros locais mais distantes.

Na inauguração compareceram o então Presidente da República, Epitácio Pessoa e o Ministro da Agricultura. No término da exposição, o então Presidente do Estado do Rio de Janeiro, Dr.Raul Veiga veio oficialmente fechar o importante evento. A avenida onde se localiza o posto leva seu nome como homenagem da cidade de Cordeiro a esse político.

Em 1936 Cordeiro foi elevada à categoria de sub-prefeitura. A cidade ganhou com isso o fornecimento de diversos serviços públicos que alavancaram seu progresso.

E em 1943 Cordeiro foi transformada em município, possuindo naquela ocasião o distrito de Macuco que mais tarde se emancipou.

A cidade já nesse período contava com atividades comerciais, industriais e de serviços.

Hoje a cidade se ocupa principalmente da pecuária e lavoura contando com um setor de serviços adequado às necessidades de sua população. Recentemente houve um desenvolvimento da industria de lingerie, seguindo a tendência registrada em Nova Friburgo, grande produtora desse setor.

Cordeiro, nos dias de hoje, é uma cidade bastante atraente e bem cuidada. Seu povo simpático e atencioso e a linda paisagem, fazem desse pequeno lugar uma atração para aqueles que gostam desfrutar a paz e o sossego do campo.

Voltar

PUBLICIDADE