Informe seu e-mail para receber nossa Newsletter:

Newsletter:

Historico

Cidade: GUAPIMIRIM


Guapimirim se emancipou do município de Magé em plebiscito realizado no dia 25 de novembro de 1990, data festiva em que o município comemora sua emancipação política.

A cidade encontra-se localizada num vale formado pela base do Dedo de Deus – Serra dos Órgãos - e faz limite com os municípios de: Teresópolis e Petrópolis (norte), Itaboraí e fundos da Baía de Guanabara (sul), Cachoeiras de Macacu (leste) e Magé (oeste).

O nome Aguapeí-mirim teve sua origem em um acampamento de índios que viviam em torno de uma nascente na região do Vale das Pedrinhas. A tradução de Guapimirim quer dizer – Nascente Pequena. O rio que deu nome ao município, era por onde as tropas passavam, levando mercadorias para o sertão das Minas Gerais e, traziam de lá ouro e pedras preciosas.

Os primeiros registros datam de 1674, e falam de um povoado às margens do rio Guapimirim, abençoado pela Igreja de Nsa. D’Ajuda. No final do séc. XVIII surgiu o povoado de Santana que ficava no caminho das tropas que ultrapassavam a Serra levando-os pelas trilhas sertanejas para as Minas Gerais.Nessa época eram comuns as pestes sucessivas, o cemitério de Santana foi construído nesse período e, até hoje, serve à cidade.

Foi também nessa época que surgiu o povoado da Barreira – a origem desse nome deve-se ao fato de ali ter sido instituído o primeiro pedágio – onde está localizada a Igreja de Nsa. da Conceição (1713) e a antiga sede da Fazenda Barreira que hoje, abriga o Museu Von Martius, em homenagem a Frederik Von Martius, naturalista alemão que estudou a flora e a fauna da região a convite de D. Pedro II. Na época da Guerra do Paraguai, o imperador hospedou-se no local interessado em avaliar as plantações da quina calisaia de onde se extrai o quinino, medicamento que combate à malária, e seria utilizado pelo exército brasileiro.

Em 1939 o então presidente Getúlio Vargas criou o Parque Nacional da Serra dos Órgãos e a Fazenda Barreira foi incorporada ao patrimônio ambiental da União.

As últimas décadas do séc. XIX foram marcadas pela construção da Estrada de Ferro Teresópolis. Esta ferrovia marca o momento de transformação da cidade para os tempos modernos. A população em sua maioria era formada de lavradores e ferroviários. Com a construção da rodovia BR 116 (1958), o transporte ferroviário entra em decadência. O advento da rodovia facilitou o acesso a serra, e foi fator preponderante na intensificação do processo de ocupação. A partir dessa década surgem os condomínios com suas luxuosas casas de veraneio.

Voltar

PUBLICIDADE