Informe seu e-mail para receber nossa Newsletter:

Newsletter:

Historico

Cidade: SÃO TOMÉ DAS LETRAS


A origem da cidade de São Tomé das Letras é envolta em muitas lendas de natureza mística.

Essa região foi primitivamente habitada por índios cataguases, à quem erroneamente se atribui a autoria de alguns desenhos rupestres semelhantes a símbolos morfológicos, encontrados na gruta de São Tomé, logo no início do povoamento (século XVIII). Pintadas na cor vermelha, essas artes nunca foram pesquisadas a fundo por nenhum arqueólogo, não possuindo assim, uma datação exata e são consideradas pela população como letras. Em conjunto com esse mistérios das "letras", existe a lenda sobre a imagem de São Tomé, aparecida na mesma gruta. Essa imagem foi roubada em 1991 do altar da igreja matriz e é uma peça cujas características estilísticas datam do princípio do século XIX.

A história documenteda de São Tomé das Letras começa, então, após a expulsão dos índios pelos bandeirantes paulistas e data de 1770. Consta que as eruditas pinturas internas da Igreja Matriz (que começou a ser construída em 1785) no estilo rococó foram realizadas por José Joaquim da Natividade, discípulo de Aleijadinho.

Ao longo so século XIX, o arraial permaneceu sendo uma cidade dormitório, com casas de portas fechadas, que os fazendeiros ocupavam apenas na época das festas.

Por volta de 1908, e extração comercial de pedras tornou-se a principal atividade econômica do distrito e a grande fonte de emprego e renda da população de São Tomé das Letras.

São Tomé vem atraindo cada vez mais visitantes e correntes esotéricas, por causa de suas origens lendárias e o misticismo amplamente divulgado no local. Essa tendência de aumento do turismo, bem como o surgimento de novos moradores, contribui para o desenvolvimento do local, mas também acelera a descaracterização de sua paisagem urbana. Inicialmente, todas as construções eram caracterizadas pela pedra extraída de suas montanhas, a chamada Pedra Mineira, quartzito ou itacolomi. Assim é que São Tomé das Letras ficou conhecida como a "Cidade das Pedras". Hoje, já se pode ver inúmeras casas sendo construídas com tijolo comum e argamassa.

A LENDA DE SÃO TOMÉ DAS LETRAS

São Tomé das Letras é verdadeiramente uma cidade interessante. Com suas lendas e mistérios, transforma-se em um enigma da natureza, estabelecendo uma ponte à dimensões de consciências mais profundas.

Conta a lenda que, no final do século XVIII, um escravo, mal tratado por seu senhor, fugiu da fazenda e encontrou uma gruta, onde se refugiou e viveu por bastante tempo escondido, comendo frutos silvestres, raízes e peixes. Um dia, um senhor de roupas claras e traços finos apareceu ao escravo fugitivo, perguntando-lhe o motivo de sua permanência por tanto tempo naquela gruta. O escravo, então, contou-lhe sua história. O estranho homem escreveu um bilhete e o entregou ao escravo, instruindo-lhe que levasse ao seu senhor e prometendo-lhe que seria perdoado.

O escravo obedeceu. Ao ler a carta, seu senhor admirou-se da letra tão invejável e tão fino papel, incomuns para aquele tempo. Resolveu, então, ir até a gruta onde o escravo estivera, mas não encontrou mais ninguém. Porém, constatou a presença de uma pequena imagem identificada como sendo de São Tomé, apóstolo de Cristo, esculpida em madeira. Assim, o senhor da fazenda decidiu colocá-la na capela, hoje substituida pela Igreja Matriz, perdoando o escravo por sua fuga.

Diz-se que São Tomé ficou sendo "das Letras" por causa dos desenhos feitos em vermelho que, ainda hoje, podem ser vistos na entrada da gruta. Esses desenhos dão o que falar; inclusive, há gente que jura serem de autoria de extra-terrestres.... Bem, mas aí, já é uma outra história!

Voltar

PUBLICIDADE