Informe seu e-mail para receber nossa Newsletter:

Newsletter:

Pontos Turísticos

Cidade: COLATINA


CATEDRAL DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS


 

A partir da Lei 5.246, sancionada em 25 de outubro de 2006, a Catedral Sagrado Coração de Jesus tornou-se o mais novo patrimônio histórico municipal, uma área de preservação histórica, artística e cultural. De acordo com a lei, nada poderá ser alterado em um raio de 50 metros da Catedral. Estão proibidas obras que venham a obstruir a visão do templo em todo o perímetro urbano de Colatina. A Catedral é o símbolo da fé dos colatinenses católicos, e a Prefeitura tenta conseguir recursos para valorizar o patrimônio histórico e cultural.

 

Padre Geraldo Meyers foi o responsável pela construção da igreja matriz, cuja pedra fundamental foi lançada em 1952 na administração do prefeito Justiniano de Mello e Silva Netto. Passou a ser denominada Catedral no final da década de 80 quando o Papa João Paulo II criou a Diocese de Colatina.

 

O engenheiro responsável pela planta da matriz foi Calixto Benedito, o mesmo que projetou o Santuário de Aparecida, em São Paulo, e o construtor foi Ludovico Dalla Bernardina. Com a saída de padre Geraldo veio para vigário da Paróquia o Cônego Maurício de Mattos Pereira, quando faltavam apenas alguns acabamentos internos. A parte principal com vitrais, sinos, relógio e reboco já estavam prontos.

 

Os três sinos existentes foram feitos em São Paulo pela Fundição Artística Paulistana (Sinos de Bronze- Ângeli). O maior pesa uma tonelada, o médio tem quinhentos quilos e o menor 200 quilos. As janelas da torre da igreja onde está o relógio, que também veio de São Paulo, medem 7m x 11m.

 

São duas torres. É na torre maior, de 47 metros de altura, onde está assentado o relógio de quatro faces, com nove metros quadrados e números em algarismos romanos e controlado por um sistema de pesos automáticos. As horas podem ser conferidas pelos colatinenses à longa distância. A torre menor da matriz situada à direita é toda coberta de cobre e tem sobre ela uma escultura de um galo, e foi feita por um especialista de São Paulo.

 

As telhas que cobrem o restante da igreja vieram do município paulista de São Caetano. Na frente da capela há dois emblemas, um da Alemanha, e outra da Áustria, colocados por indicação do padre Geraldo, por ele ser natural da Alemanha, e por ter sido um austríaco quem colocou os vitrais. As paredes são feitas com enormes vitrais coloridos com motivos religiosos e passagens bíblicas trazidos da Europa pelo padre Geraldo.


Voltar

PUBLICIDADE